Morte de milionária em Londres expõe drama da dependência química

Eva Rausing, uma das mulheres mais ricas do Reino Unido, já havia sido presa com crack.

BBC Brasil, BBC

11 de julho de 2012 | 11h36

A morte de Eva Rausing, uma das mulheres mais ricas do Reino Unido, trouxe de volta à tona os problemas de dependência química que marcaram a trajetória dela desde o seu casamento com o herdeiro do grupo Tetra-Pak.

A causa da morte ainda não foi esclarecida e está sendo investigada pelas autoridades britânicas. A necrópsia não conseguiu descobrir os motivos e outros exames estão sendo realizados. Eva Rausing tinha 48 anos e quatro filhos.

Em 2008, a milionária, que nasceu nos Estados Unidos, chegou a ser presa ao tentar entrar na embaixada americana com cocaína, heroína e crack.

Em buscas posteriores, a polícia chegou a encontrar 52 gramas de cocaína na casa dela, em um bairro nobre de Londres - o mesmo local onde, na última segunda-feira, ela foi encontrada morta.

A polícia descobriu o corpo durante uma busca que resultou na prisão de um homem de 49 anos. Ele foi detido por posse de drogas e possível conexão com a morte.

Os policiais não confirmaram os rumores de que o preso seria o marido dela, Hans Kristian Rausing, que também tinha problemas de dependência química.

Clínica

Eva conheceu o marido em uma clínica de reabilitação ainda nos anos 1980. Eles se casaram pouco tempo depois.

Hans Kristian Rausing é o herdeiro de um império. O pai dele, Hans Hausing Senior, fez fortuna com a patente das caixas Tetra-Pak e foi considerado pela revista Forbes, em março de 2012, o 88º homem mais rico do mundo, com uma fortuna estimada em US$ 10 bilhões (cerca de R$ 20 bilhões).

Eva era filha de um importante executivo da Pepsico. Os pais dela, Tom e Nancy Kemeny, disseram em um comunicado que ficaram chocados e profundamente entristecidos com a morte da filha.

"Durante sua curta vida, ela fez parte de vários projetos filantrópicos, apoiando um grande número de instituições de caridade, não somente financeiramente, mas fazendo uso da sua experiência pessoal", diz o comunicado.

Eva doou milhões de libras para instituições de caridade, muitas delas ligadas ao combate à dependência química.

"Reconheço que tomei um rumo errado na minha vida", disse Eva, após uma das confusões em que se envolveu. Mesmo arrependida, ela não conseguiu superar a dependência química. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.