Morte de ursa panda ofusca estrelato de Knut em Berlim

A alegria pelo novo mascote de Berlim, o ursinho polar Knut, foi ofuscada pela morte de outro dos grandes símbolos do Jardim Zoológico da capital alemã, a ursa panda Yan Yan, encontrada morta na segunda-feira, 26, sem que houvesse sintomas de doença."Sua morte é totalmente inexplicável, pois tinha apenas 22 anos", disse nesta terça à agência de notícias Efe o diretor de departamento de predadores, Heiner Klöss, que em 1996 viajou pessoalmente a Pequim para pegar Yan Yan.O zoológico deve realizar a autópsia do animal para esclarecer as causas da morte, mas, segundo Klöss, tudo indica que foi uma "morte natural".Com isso, o zoólogo fez alusão indireta a especulações do jornal alemão Bild, que na edição desta terça se perguntava se Knut podia ser o causador involuntário da morte de Yan Yan, pois nos últimos dias o zôo ficou lotado. Dezenas de milhares de pessoas foram ao local ver o filhote de urso polar. "Pode ser que a visita de 30 mil pessoas por dia fosse muito estresse?", afirma o jornal na primeira página.Há poucos dias o Bild causou uma grande comoção ao insinuar que Knut poderia ser sacrificado por exigência dos defensores da natureza, que consideravam antinatural criar um urso com mamadeira. A atitude, no entanto, nunca havia sido considerada, segundo o zôo.Para Berlim, Yan Yan havia sido até pouco tempo o que Knut é agora: o animal predileto dos berlinenses, que durante anos acompanharam com curiosidade todas as tentativas para que a ursa tivesse filhotes com o companheiro Bao Bao, o que nunca ocorreu, apesar de repetidas inseminações artificiais.Yan Yan chegou a Berlim em 1997, fruto da cooperação da capital alemã com Pequim, que decidiu cedê-la por cinco anos. O período foi prolongado, após árduas negociações com os interlocutores chineses, como afirma o zoológico em seu site. Bao Bao, por outro lado, chegou a Berlim em 1979, como presente oficial da China ao então chanceler Helmut Schmidt. Ultimamente a China não havia mostrado interesse em recuperar a ursa.O Jardim Zoológico de Berlim considera há muito tempo a idéia de formar um jovem casal da espécie, mas a aquisição de cada exemplar na China custa atualmente em torno de US$ 1,3 milhão.Segundo o zoológico, restam cerca de 1.600 pandas em liberdade no mundo e são muito poucos os zoológicos que contam com algum exemplar.Os pandas, que se alimentam exclusivamente de bambu, podem viver por cerca de 34 anos, por isso a morte de Yan Yan é considerada ainda mais inexplicável.

Agencia Estado,

27 de março de 2007 | 17h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.