Mortes ligadas à onda de calor passam de 130 na Califórnia

O total de mortes atribuído à onda de calor que atinge a Califórnia chega a 132. O salto no número de vítimas - que, mais cedo, havia sido registrado em 98 - vem principalmente do Condado de Los Angeles e dos condados de Merced e Stanislaus, no Vale Central, onde os legistas lutam para fazer frente ao acúmulo de corpos."Isto não tem precedentes", disse o porta-voz do serviço de emergência do Condado de Stanislaus. A área costuma registrar uma morte causada por calor ao ano. Só nesta sexta-feira, foram 29.No necrotério do Condado de Fresno, o frigorífico estava cheio de corpos, com alguns empilhados sobre os outros, disse a médica legista LoraleeCervantes. Com o condicionamento limitado do ar, os funcionários trabalharam no calor escaldante enquanto investigavam pelo menos 22 mortes possivelmente relacionadas ao calor. A temperatura caiu levemente em algumas áreas, com Sacramento apresentando menos de 38 graus Celsius pela primeira vez em 12 dias, mas Fresno alcançou os 41°C e Bakersfield 42°C. Esperava-se que as temperaturas na maior parte do Estado cairiam para abaixo dos 38°C até o final de semana, disse Kathy Hoxsie, uma meteorologista no Serviço Climático Nacional.O Condado Kern estava investigando oito mortes possivelmente ligadas ao calor. Entre as vítimas, estavam dois irmãos de Bakersfield que foram encontrados mortos em suas camas em uma casa sem ar-condicionado.O governador Arnold Schwarzenegger anunciou que a Califórnia estava disponibilizando 75 centros de resfriamento por todo o Estado. Autoridades sanitárias estavam contactando asilos para se assegurar de que eles tinham planos de evacuação caso o sistema de ar condicionadofalhasse. O Senador do Estado Dean Florez pediu a Schwarzenegger que declare estado de emergência no Vale Central, Califórnia, notando que os residentes - e centenas de vacas - estavam morrendo a cada dia. O mês de julho foi marcado pelo calor extremo em todo o país. Em St. Louis, o problema foi piorado por tempestades que derrubaram a energia elétrica, no maior blecaute na história da cidade. A maior parte das 12 mortes em Missouri atribuídas à onde de calor ocorreram na região de St. Louis, onde cerca de 36 mil casas e escritórios continuavam sem energia na tarde de quinta-feira.AlemanhaJulho de 2006 entra para a história como o mês mais quente já registrado na Alemanha, informa o serviço meteorológico do país. A temperatura média foi de 22,1º C. O recorde anterior havia ficado em 21,3º C, em julho de 1994. O serviço meteorológico, que registra as temperaturas no país desde 1901, disse que a média já inclui a previsão de temperaturas para os dias remanescentes do mês.O porta-voz do serviço, Uwe Kirsche, disse que a previsão é precisa, e a média não variará para mais ou menos de 0,1º. O número médio de horas de céu claro em julho foi de 336. O recorde anterior, de 1994, tinha sido de 289 horas.Ampliada às 15h23, com novo número de mortos na Califórnia

Agencia Estado,

28 de julho de 2006 | 12h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.