Mortos em enchentes e deslizamentos no Haiti sobem para 23

O número de mortos pelas fortes chuvas que provocaram inundações e deslizamentos de terra no Haiti, que foi destruído por um terremoto no ano passado, subiu para 23, disse uma autoridade do governo na quarta-feira.

REUTERS

08 Junho 2011 | 21h25

As mortes e os danos causados pela primeira grande tempestade da temporada de furacões do Atlântico gerou dúvidas sobre a capacidade do Haiti, o país mais pobre das Américas, de responder a grandes tempestades, especialmente no momento em que trabalha para controlar um surto de cólera de oito meses que matou 5.400 pessoas.

Equipes de emergência retiraram pedras, árvores e postes de energia caídos nas estradas da capital haitiana na quarta-feira, enquanto grupos de ajuda se espalharam para avaliar melhor os danos.

As chuvas transformaram ruas de Porto Príncipe em corredeiras de água com muita lama, deixaram casas em ruínas e inundaram acampamentos onde ainda vivem os sobreviventes desabrigados do devastador terremoto de 2010.

Ao menos seis pessoas ainda estão desaparecidas, disse Nadia Louchard, coordenadora do departamento de proteção civil do Haiti. "Pedimos para a população ser vigilante e para deixar áreas de risco quando começar a chover", acrescentou.

(Reportagem de Joseph Guyler Delva)

Mais conteúdo sobre:
HAITI MORTOS ENCHENTES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.