Motor novo, velho problema

Em alguns casos, nem troca completa deu resultado

Michel Escanhola e Rafaela Borges, O Estadao de S.Paulo

28 de outubro de 2009 | 00h00

Enquanto dizia não saber a causa do problema no motor 1.0 VHT, a Volks chegou a trocar propulsores inteiros de alguns carros. Mas nem isso resolveu o problema. O produtor de marketing César Ramos Nascimento adquiriu seu Gol em novembro de 2008. Em abril, os problemas começaram: "O nível do óleo baixava a cada mil quilômetros e o motor começou a apresentar um barulho horrível." Seis meses depois, o motor e o sistema de partida a frio foram trocados e o problema voltou a aparecer. "Amanhã vou de novo à concessionária."

"De nada adiantava trocar o motor se o problema era o lubrificante", diz um engenheiro. "A recomendação para quem está rodando com o óleo antigo é checar o nível a cada parada no posto para reabastecimento. Se estiver baixo, peça para completar com o lubrificante recomendado pela fabricante."

Ele recomenda que os proprietários, mesmo os que não tiveram problema, tomem esse cuidado até a próxima troca de óleo recomendada.

E há quem já tenha desistido de comprar o carro. É o caso da advogada Gabriela de Souza, que chegou perto de fechar negócio para aquisição de um Gol. "Depois disso, perdi não apenas o interesse pelo veículo, mas também pela marca", diz. "Fiquei com medo de pagar caro para ter dor de cabeça." Ela agora vai comprar um Celta ou um Corsa, ambos da GM.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.