Motorista da procuradora-geral do Rio é preso por tráfico

Segundo a polícia, ele havia comprado cocaína e, ao ser abordado, teria tentado subornar os PMs

Clarissa Thomé, O Estado de S.Paulo

05 de julho de 2008 | 12h11

O cabo bombeiro Alan Rivail Ajas da Silva, motorista da procuradora-geral do Rio, Lúcia Léa Guimarães Tavares, foi preso na madrugada deste sábado, 5, sob a acusação de tráfico de drogas. O motorista estava com o carro oficial da Procuradoria no Morro da Fallet, no Catumbi, região central do Rio, quando foi abordado por policiais militares. Segundo a versão dos PMs, Silva havia acabado de comprar cocaína. Ele alegou que a droga era para outra pessoa e teria tentado subornar os PMs com R$ 100. O motorista foi levado para a 6ª Delegacia de Polícia (Cidade Nova) e de lá seguiu para o Grupamento Especial Prisional do Corpo de Bombeiros, em São Cristóvão, onde está preso.A assessoria de imprensa do Palácio Guanabara divulgou nota informando que a procuradora ficou "indignada" e decidiu "devolver o cabo bombeiro para o Corpo de Bombeiros, onde ele será processado pelo ato criminoso de que é acusado". Ainda de acordo com a nota, a procuradora pediu "rigor nas investigações e na punição do motorista".

Tudo o que sabemos sobre:
BombeirotráficoRio de janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.