Motorista encontrará pontos críticos em rodovias

Motoristas em viagem pelo interior e litoral de São Paulo durante o feriado de Corpus Christi vão encontrar pontos críticos nas principais rodovias. Com o início do inverno, o número de veículos para o interior será maior do que em direção às praias. Apenas pelo Sistema Castelo Branco - Raposo Tavares devem passar 555 mil veículos. Amanhã pode ocorrer congestionamento na saída da Castelo Branco, no km 26, para a Estrada dos Romeiros, acesso de Santana do Parnaíba. A cidade deve receber milhares de turistas, atraídos pela tradição dos tapetes que enfeitam as ruas durante o Corpus Christi.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

21 Junho 2011 | 18h58

A concessionária Viaoeste vai suspender as obras que causam interferência no tráfego, especialmente na Raposo, até o meio-dia da próxima segunda-feira. Nessa rodovia, o trecho crítico está entre o km 92 e o 105, na passagem por Sorocaba. No feriado, moradores da capital vão pegar o trecho para chegar à região de pesqueiros de Araçoiaba da Serra e Salto de Pirapora. Obras de construção de avenidas marginais tornam o trânsito confuso e perigoso.

O frio de Campos do Jordão deve atrair parte dos 230 mil veículos que vão deixar a capital entre amanhã e quinta-feira pelo corredor Ayrton Senna/Carvalho Pinto. No total, as rodovias do sistema receberão 920 mil veículos até o dia 26, segundo a Ecopistas. No feriado e fim de semana, os motoristas que seguem para a cidade serrana terão uma faixa exclusiva entre o km 128 e o km 130 da rodovia Carvalho Pinto, ponto de congestionamentos. A faixa da esquerda da pista que opera em direção a São Paulo terá seu sentido invertido e servirá como mais uma opção para quem vai a Campos do Jordão. A velocidade máxima permitida nesta faixa será de 80 km/h.

As rodovias Fernão Dias e D.Pedro II, que dão acesso às cidades do Circuito das Águas Paulista, como Amparo, Lindoia, Águas de Lindoia, Serra Negra e Socorro, estão em condições normais de tráfego. Apenas pela Fernão Dias 160 mil veículos deixam São Paulo entre amanhã de quinta-feira. Pode haver congestionamento no trecho até Bragança Paulista. A Polícia Rodoviária Estadual alerta para o risco de neblina em trechos de serra. Em outras rodovias do interior, o perigo está nas queimadas na beira da pista que lançam fumaça sobre a pista. No ano passado, de maio a agosto, foram registrados 1,7 mil focos de incêndio em beiras de rodovias estaduais.

Baixada Santista

De 150 mil a 250 mil veículos devem seguir para o litoral pelo Sistema Anchieta-Imigrantes no feriado. Haverá Operação Descida (7 pistas para descer e 3 no sentido contrário) das 10 horas às 16 horas de quinta-feira. A operação se repete na subida, das 10 horas às 22 horas de domingo. Pela Régis Bittencourt, que liga São Paulo e Curitiba, poderão passr 120 mil veículos em direção ao sul até a noite de quinta-feira, um aumento de 30% no tráfego, segundo a concessionária. O movimento será mais intenso das 14 horas às 24 horas de hoje, no sentido Curitiba, e das 15 horas às 23 horas de domingo, no retorno para São Paulo.

No trecho mais perigoso, na Serra do Cafezal, entre o km 336 e o 368, haverá faixa adicional para a descida, com o uso do acostamento. A operação será invertida no retorno. No km 508 sul, em Cajati, meia pista está interditada para obras em um viaduto. Entre os km 530 e 533 há serviços de recuperação de pontes e pode haver retenção de tráfego. No sentido São Paulo, há outro desvio no km 331, em Juquitiba, por conta de um afundamento na pista norte.

Mais conteúdo sobre:
feriado rodovias pontos críticos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.