Movimento de peregrinos na rodoviária do Rio é grande

O movimento de peregrinos na Rodoviária Novo Rio está acima do esperado, disse o secretário municipal de Transportes do Rio, Carlos Osório. Um plano de contingência foi desenvolvido para o terminal e para os aeroportos Santos Dumont e Galeão.

ROBERTA PENNAFORT, Agência Estado

22 de julho de 2013 | 15h29

O secretário alertou as paróquias para que orientem melhor os peregrinos que chegam em ônibus fretado. Esses veículos não podem se deslocar pela cidade, tendo que se dirigir diretamente às paróquias para que os peregrinos desembarquem. No entanto, alguns motoristas estão chegando sem saber sequer o nome da paróquia para onde devem ir. Segundo ele, é uma minoria, mas há necessidade de mais informação. Os ônibus que se deslocarem pela cidade irregularmente serão recolhidos.

Já chegaram 3 mil ônibus fretados, de uma expectativa de 20 mil. Os ônibus são abordados em quatro pontos de rodovias federais - a Via Dutra, a BR-101 Norte, a Washington Luís e a BR-116 Norte. Nestes locais, voluntários colam etiquetas nos veículos, indicando onde deverão parar.

Com relação à previsão de chuva no Rio, para terça, quarta e quinta-feira, a orientação da Jornada Mundial da Juventude, é que os fiéis não usem guarda-chuvas, mas sim capas de chuva, para facilitar o deslocamento em grandes aglomerações. Sobre os atos do Campus Fidei em Guaratiba, sábado e domingo, a orientação é chegar cedo, pois a capacidade do terreno é para entre 1,3 milhão e 1,5 milhão de pessoas e haverá a necessidade de barrar fiéis acima disso. Quanto à saída de Guaratiba no domingo, o secretário alertou que será preciso muita calma. "Serão três rotas de saída e o deslocamento pode demorar até dez horas", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
JMJperigrinos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.