MP aguarda inquérito policial sobre caso Syngenta

O Ministério Público Estadual em Cascavel, a cerca de 500 quilômetros de Curitiba, no oeste do Paraná, informou que até o fim desta semana terá um posicionamento sobre o inquérito policial a respeito do confronto entre sem-terra e seguranças da NF Segurança, durante a invasão da propriedade da Syngenta Seeds, em Santa Teresa do Oeste, no dia 21 de outubro. Na ação foi morto o líder sem-terra Valmir Mota de Oliveira e o segurança Fábio Ferreira, de 25 anos.Em quatro volumes de inquérito, o delegado Renato Bastos Figueiroa responsabilizou nove seguranças privados e o proprietário da NF Segurança, Nerci Freitas, e os indiciou por homicídio, tentativa de homicídio e formação de quadrilha. Nenhum sem-terra foi responsabilizado pela morte de Ferreira. Apenas o líder do Movimento dos Sem-Terra (MST), Celso Ribeiro Barbosa, foi indiciado em razão da invasão e da ameaça aos bens da Syngenta. O Ministério Público deve informar se apresentará denúncia contra os indiciados.No dia 30 de novembro, a juíza da 2ª. Vara Federal de Cascavel, Vanessa De Lazzari Hoffmann, manteve o embargo das atividades de pesquisa e plantio de organismos geneticamente modificados na estação experimental e confirmou a multa de R$ 1 milhão aplicada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) no ano passado. A multa foi aplicada em 21 de março, uma semana depois de cerca de 80 famílias de sem-terra terem invadido a propriedade pela primeira vez. O grupo de sem-terra que retomou as terras está plantando no local.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.