MP denuncia 5 por roubar e atear fogo em despachante

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) denunciou, nesta sexta-feira, 30, cinco pessoas envolvidas na morte do despachante Anderson Peres Grandra, na zona oeste da cidade. De acordo com a denúncia, quatro mulheres e um homem atearam fogo em Grandra ainda vivo, após roubá-lo. Os promotores de justiça requereram a prisão preventiva dos denunciados.

PRISCILA TRINDADE, Agência Estado

30 de setembro de 2011 | 17h22

O crime ocorreu no dia 23 de junho deste ano, quando uma das mulheres teria atraído a vítima para um motel. No quarto, ela e outras três mulheres tentaram aplicar o golpe conhecido como "Boa noite Cinderela. Sem sucesso, elas convenceram a vítima a seguir para a casa de uma das mulheres.

Depois de matar Grandra, os denunciados seguiram para a Estrada do Guandu do Sena, no bairro de Bangu, onde eles jogaram gasolina e atearam fogo no corpo do despachante.

Os promotores destacam que "o laudo de necropsia revela que o cadáver carbonizado apresentava o Sinal de Montalti (produtos da combustão nas vias respiratórias), indicando que Grandra foi queimado vivo". Os denunciados roubaram o carro, o celular e R$ 2 mil do despachante.

Tudo o que sabemos sobre:
CrimedespachantefogoRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.