MP denuncia acusado de matar escritor paranaense

A Promotoria de Inquéritos Policiais de Curitiba apresentou hoje denúncia criminal por homicídio contra Cleverson Petreceli Schmitt, de 19 anos, acusado de ter matado o escritor paranaense Wilson Bueno, de 61 anos. De acordo com o Ministério Público, Bueno foi morto em razão de desentendimentos pelo pagamento de uma dívida de R$ 130. "O rapaz queria receber o valor em espécie, enquanto Bueno queria manter o pagamento em cheque", disse a Promotoria, por meio de uma nota. O crime aconteceu dia 30 de maio na casa do escritor, na Vila Tingui, região norte de Curitiba.

EVANDRO FADEL, Agência Estado

21 de junho de 2010 | 17h15

De acordo com o MP, Bueno foi pego de surpresa e morto a golpes de faca. Após a morte, Schmitt teria pego celulares e uma máquina fotográfica, o que levou a promotora de Justiça Fernanda Nagl Garcez a também denunciá-lo por furto. O entendimento da promotora é o mesmo dos advogados que defendem Schmitt, de que não houve latrocínio (roubo seguido de morte). Segundo eles, o rapaz somente furtou os objetos porque neles havia informações que poderiam levar a polícia a identificá-lo. No inquérito, a polícia havia apontado latrocínio, que, caso haja condenação, prevê pena de até 20 anos de reclusão. Para o homicídio, a pena máxima é de 12 anos. Schmitt está preso desde o dia 2.

Tudo o que sabemos sobre:
escritormortedenúnciaWilson Bueno

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.