MP irá à Justiça contra Renascer por descumprimento de acordo

MP diz que igreja fez culto em local improvisado; para entidade, acordo valia para locais próximos ao acidente

Gustavo Uribe, Agência Estado

26 Janeiro 2009 | 20h09

O Ministério Público (MP) divulgou na noite desta segunda-feira, 26, nota à imprensa afirmando que irá propor medidas judiciais cabíveis contra a Igreja Apostólica Renascer em Cristo, em decorrência de um culto realizado neste domingo, 25, no Clube Homs, na capital paulista. Segundo o MP, o clube não tem alvará de funcionamento e a Igreja Renascer teria descumprido acordo firmado com o próprio MP na última terça-feira em que se comprometia a não realizar cultos em locais improvisados.   Veja também: Trabalho de demolição de templo da Renascer é retomado Renascer está sofrendo perseguição, diz casal Henandes  Galeria de fotos: imagens do local e do resgate às vítimas  Todas as notícias sobre o desabamento na Igreja Renascer     Ainda segundo a nota, as medidas serão tomadas com base no descumprimento do acordo e após a conclusão da análise de documentos entregues pela igreja e pelo Departamento de Controle do Uso de Imóveis (Contru) da Prefeitura de São Paulo à promotora de Justiça Mabel Tucunduva de Souza.   A assessoria da igreja informou, em telefonema à Agência Estado, que a Renascer tinha alvará para realizar o culto e desde 2005 o Homs tem permissão de funcionamento concedida pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT). Ainda segundo a igreja, o acordo firmado entre a Renascer e o MP previa a não realização de cultos "só nas proximidades do local do acidente". Procurada, a assessoria do Contru disse não poder se pronunciar sobre o assunto, uma vez que a ação corre em sigilo na Justiça.   O Clube Homs recebeu pelo menos quatro notificações de multa por realizar eventos antes de apresentar alvará de funcionamento. O clube estava proibido de realizar qualquer tipo de evento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.