MP responsabiliza 4 bombeiros por falhas na boate Kiss

O Ministério Público do Rio Grande do Sul vai ajuizar ação civil por improbidade administrativa contra quatro bombeiros - os ex-comandantes Altair de Freitas Cunha e Moisés da Silva Fuchs, o major Daniel da Silva Adriano e o capitão Alex da Silva Camilo - por supostas falhas na emissão de licenças e alvarás para o funcionamento da boate Kiss. Em tese, eles podem ser condenados a perder funções públicas e ao pagamento de multa. A informação foi divulgada pelos promotores responsáveis pelo caso em entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira, em Santa Maria. A ação não atribuirá responsabilidades ao prefeito Cezar Schirmer (PMDB) e nem a funcionários públicos municipais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.