MP-RJ denuncia por homicídio chefe de milícia

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) denunciou à Justiça, por homicídio duplamente qualificado, Luis Antonio Guimarães Lima, conhecido como "Nem do Gás". Ele é apontado como chefe da milícia na área de Cantagalo, em Campo Grande, e suspeito de ter participado do assassinato do policial militar Jurani Ferreira da Rosa. O crime aconteceu em 10 de abril de 2011.

MARCELA GONSALVES, Agência Estado

22 Junho 2011 | 15h08

De acordo com a denúncia, "Nem do Gás" atirou em Jurani. A vítima foi executada por volta de 22 horas, quando estava com a família em uma festa em um sítio no bairro de Guaratiba. A denúncia foi oferecida no 2º Tribunal do Júri da comarca da capital.

Para o MP-RJ, a forma como o crime foi cometido não permitiu a defesa da vítima, uma vez que o tiro foi desferido pelas costas. "Nem do Gás" está preso atualmente, mas o promotor reforçou na denúncia a necessidade de manutenção da sua prisão preventiva.

O suspeito e seu grupo são investigados por outros homicídios e extorsões na região. Em maio, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) denunciou o miliciano por homicídio duplamente qualificado, por participação na execução do rival Alex Sandro Romeiro Lindolfo, o Keti, ocorrida em 4 de março.

Mais conteúdo sobre:
crime violência denúncia milícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.