MP-SP pede inquérito contra advogada de Lindemberg

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) solicitou abertura de inquérito policial para a Delegacia Seccional de Santo André para investigar a postura da advogada Ana Lucia Assad durante o julgamento de Lindemberg Alves, condenado a mais de 98 anos pela morte da ex-namorada Eloá Pimentel.

ÍTALO REIS, Agência Estado

16 Março 2012 | 21h11

A promotora criminal Iussara Brandão encaminhou o pedido para Polícia Civil na tarde de quinta-feira, para que o comportamento da advogada seja avaliado. Ana Lucia Assad falou que a juíza do caso, Milena Dias, tinha de "voltar a estudar" quando a magistrada afirmou que o conceito de "verdade real" usado pela defesa não existia.

Ana Lucia se defendeu e afirmou que também está tomando as devidas medidas contra Milena Dias. "Esse inquérito é leviano e sem propósito, só prova o envolvimento emocional e nada ético da magistrada", afirmou a advogada. "Estou tomando medidas no CNJ (Conselho Nacional de Justiça) e também criminalmente por injúria e difamação".

Hoje, a Ordem dos Advogados do Brasil em São Paulo (OAB-SP) se posicionou a favor de Ana Lucia Assad. Em nota, o presidente da entidade, Luiz Flávio Borges D''Urso, disse que o embate durante plenário é mais intenso e que a juíza ofendeu a advogada ao afirmar que o termo usada pela defesa não existia, dando a entender que Ana Lucia não estava preparada. "Ela nada mais fez do que responder, sem o intuito de ofender", afirma. Segundo Ana Lucia, na próxima semana ela já deverá ter entrado com ações contra Milena Dias. O MP-SP agora vai aguardar as investigações da delegacia.

Mais conteúdo sobre:
caso Eloáinquéritoadvogada

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.