MPF-AM quer suspender início das operações de ponte

O Ministério Público Federal no Amazonas (MPF-AM) pediu que a Justiça Federal determine a suspensão do início das operações da ponte sobre o Rio Negro, prevista para a próxima segunda-feira, 24. Segundo o órgão, o Estado do Amazonas não cumpriu as condicionantes assumidas em termo de conciliação firmado em 2009, e o início das operações potencializaria riscos sociais, ambientais, indígenas e ao patrimônio histórico.

MARCELA BOURROUL GONSALVES, Agência Estado

21 Outubro 2011 | 19h32

Em audiência realizada na Justiça Federal no dia 17 deste mês, o Estado não comprovou o cumprimento das medidas. Segundo o MPF-AM, os órgãos que participaram da audiência de conciliação, como o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e a Fundação Nacional do Índio (Funai) também confirmam que o Estado do Amazonas vem descumprindo o termo de compromisso. O pedido foi encaminhado ontem à 7ª Vara Federal, e aguarda análise da Justiça.

Mais conteúdo sobre:
ambiente ponte Rio Negro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.