MPF é acionado para investigar lixo hospitalar em PE

O Ministério Público Federal de Pernambuco (MPF-PE) deve investigar o caso dos contêineres vindos dos Estados Unidos com lixo hospitalar, no Porto de Suape, no município de Ipojuca. A Receita Federal protocolou uma representação no início da tarde de hoje que será distribuída provavelmente na segunda-feira, 17, a um dos procuradores locais. O procurador pode instaurar um inquérito ou um procedimento administrativo para investigar a importação de lixo hospitalar.

PRISCILA TRINDADE, Agência Estado

14 Outubro 2011 | 21h11

Duas cargas foram apreendidas até o momento. Na terça-feira, 11, foi encontrado primeiro contêiner, com 23 toneladas de lençóis sujos, seringas, luvas usadas e cateteres. O segundo, na quinta-feira, 13, com o mesmo peso, continha lençóis, fronhas, toalhas de banho, batas, pijamas e roupas de bebê com identificação de vários hospitais norte-americanos.

Os materiais embarcaram no Porto de Charleston, na Carolina do Sul, e foram importados por uma empresa de Santa Cruz do Capibaribe, município do polo têxtil pernambucano, no agreste. A documentação das cargas dos dois contêineres apreendidos indicava se tratar de "tecido de algodão com defeito". Ainda não foi decidido se o lixo será devolvido aos EUA ou se será destruído.

Mais conteúdo sobre:
ambiente lixo hospitalar PE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.