MPF investigará conflito entre PF e indígena Munduruku

O Ministério Público Federal (MPF) de Mato Grosso e do Pará abriu investigação sobre o conflito ocorrido no dia 7 entre policiais federais e índios Munduruku da aldeia Teles Pires, na divisa dos dois Estados que deixou como saldo um índio morto e oito pessoas feridas (dois policiais e seis indígenas). O conflito aconteceu no segundo dia da operação Eldorado deflagrada para combater a extração ilegal de ouro em terras indígenas. Depois do conflito a ação foi suspensa.

FÁTIMA LESSA, Agência Estado

21 de novembro de 2012 | 18h01

Em ofício encaminhado à Polícia Federal de Mato Grosso, os procuradores Márcia Brandão Zollinger (MPF-MT) e Felipe Bogado, do (MPF-PA), solicitaram várias respostas sobre o antes e depois do conflito. Eles perguntaram, por exemplo, se foi feita necropsia para apurar a causa da morte do índio munduruku, se houve a identificação, apreensão e o exame pericial na arma que teria efetuado o disparo contra o indígena.

Eles pediriam à PF cópia dos áudios e vídeos que tenham sido gravados nos dias da ação policial e que seja apresentada a relação detalhada de todos os participantes da operação, sejam eles da PF, da Força Nacional de Segurança, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), da Fundação Nacional do Índio (Funai) ou de quaisquer outros órgãos.

Os procuradores decidiram abrir investigação depois de receberem uma representação assinada por 116 organizações e entidades da sociedade civil. Zollinger e Bogado disseram que neste primeiro momento será realizada a "oitiva dos agentes públicos que participaram da organização logística da operação e dos que executaram a atividade".

Tudo o que sabemos sobre:
índiosPFconfrontoMT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.