MPF pede prisão de oito médicos do SUS

O Ministério Público Federal pediu a prisão preventiva de oito médicos credenciados do Sistema Único de Saúde (SUS) por cobrarem de R$ 1 mil a R$ 1,5 mil de seus pacientes para fazer partos, laqueaduras e outros procedimentos realizados gratuitamente na rede pública de saúde.

CHICO SIQUEIRA, ESPECIAL PARA O ESTADO, ARAÇATUBA, O Estado de S.Paulo

19 Dezembro 2012 | 02h08

Há médicos que ainda cobravam pelo mesmo procedimento do próprio SUS, usando guias falsas - ou seja, ganhavam duas vezes. Em outra denúncia, alguns desses profissionais citados pelo MPF são acusados pela morte de dois bebês após suposta falta de atendimento adequado.

O pedido de prisão é do procurador da República em Jales, Thiago Lacerda Nobre. A medida, diz, tem o objetivo de impedir que os médicos pratiquem novos crimes e garantir segurança a quem necessita de atendimento. Segundo Lacerda, há relatos de famílias que sofreram ameaças.

Os médicos foram denunciados por concussão e alguns deles também por estelionato qualificado e falsidade ideológica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.