MPF pede suspensão de repasse para remédio no RJ

O Ministério Público Federal (MPF) determinou a suspensão do repasse de R$ 2,9 milhões para compra de material médico-hospitalar em Nova Friburgo (RJ). De acordo com o MPF, "a compra não foi licitada a pretexto de atender à situação de calamidade gerada pelas enchentes e deslizamentos de terra ocorridos em janeiro".

CAROLINA SPILLARI, Agência Estado

07 Junho 2011 | 17h30

A denúncia do MPF aponta que a Fundação Municipal de Saúde (FMS) do município dispensou a licitação para compra de 165 itens médico-hospitalares em quantidade que poderia suprir a demanda das unidades de saúde em mais de sete meses.

Além da FMS, as fornecedoras Brasil Miracema, Topsky, Telemedic e Getfarma estão sendo responsabilizadas pelo MPF. O MPF solicita a "anulação da compra ilegal e a correção de seus vícios, evitando prejuízos aos cofres públicos com a aquisição de itens onerosos e desnecessários ao funcionamento do Sistema Único de Saúde (SUS)".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.