MSC rebate dado da Anvisa sobre intoxicação em navio

Segundo empresa responsável por cruzeiro, número correto de ocorrências foi 135 e não 380

Tiago Décimo, O Estado de S.Paulo

09 Janeiro 2009 | 19h32

Um dia depois de a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informar que 380 pessoas a bordo do navio MSC Sinfonia tiveram sintomas de gastroenterite, como dor abdominal, diarreia e vômito, a empresa MSC divulgou, no fim da tarde desta sexta-feira, 9, que o número correto de ocorrências é de 135, dos quais 129 passageiros e seis tripulantes.     Veja também: Em navio, 380 passageiros têm intoxicação alimentar Adiada novamente partida de navio retido pela Vigilância   O navio, que ficou retido em Salvador por 40 horas para que técnicos da Anvisa realizassem análises na água e na comida servidas a bordo, é o mesmo no qual foi registrada, na segunda-feira, a morte da carioca Aline Mion Almeida, de 32 anos, portadora de distrofia muscular. O advogado Pedro Macente, de 71 anos, que sofreu um enfarte a bordo na manhã de quinta, continuava internado, na Unidade de Terapia Intensiva da Fundação Baiana de Cardiologia, em Salvador, no início desta noite.   De acordo com a Anvisa, as análises preliminares mostraram problemas na água, que teria teor de cloro mais baixo que o normal, e no armazenamento de alimentos, em especial a maionese. A MSC informa por meio de nota oficial, por outro lado, que "não há evidência" de que os casos detectados a bordo tenham "origem alimentar". O resultado final das análises da Anvisa deve ser conhecido na próxima quinta-feira. O navio tem chegada prevista ao Rio na manhã deste sábado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.