MST e agricultores deixam áreas da Votorantim no RS

Ações, segundo o movimento, fazem parte de um protesto contra o avanço do plantio de eucaliptos na região

ELDER OGLIARI, Agencia Estado

11 de junho de 2008 | 15h08

Os grupos ligados ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e ao Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) que invadiram duas fazendas da Votorantim Celulose e Papel, em Piratini e Herval, na região sul gaúcha, já deixaram as propriedades rurais. Os agricultores entraram nas fazendas ao amanhecer deste quarta-feira, 11, e saíram quando pelotões da Brigada Militar (a Polícia Militar do Rio Grande do Sul) chegaram ao local. Uma nota distribuída pelo MPA indicou que as duas ações fazem parte de um protesto contra o avanço do plantio de eucaliptos na região.     Veja também: Via Campesina realiza protestos e invasões em 13 Estados Enquete: o protesto dos sem-terra é legítimo?  Após cinco horas, Via Campesina desbloqueia ferrovia em Minas Via Campesina invade prédio da Votorantim no centro de SP Via Campesina invade Bunge e bloqueia estrada no RS Após invasão, usina da Chesf opera normalmente na BA Na última terça, outra propriedade da Votorantim sofreu com protestos. Cerca de 500 trabalhadores rurais do movimento Via Campesina invadiram o prédio do grupo no centro de São Paulo para denunciar os impactos ambientais da construção da barragem de Tijuco Alto, no Rio Ribeira de Iguape, que corta os Estados de São Paulo e Paraná. Eles foram retirados do prédio após 40 minutos de ocupação, pela Policia Militar (PM).

Tudo o que sabemos sobre:
questão agrária

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.