MST invade fazenda de Abadía no Rio Grande do Sul

Imóvel de 36 hectares está confiscado pela Receita Federal desde o ano passado

Elder Ogliari e Milton da Rocha Filho, da Agência Estado,

21 de janeiro de 2008 | 09h44

Cerca de 300 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) invadiram na manhã desta segunda-feira, 21, a fazenda do traficante colombiano Juan Carlos Ramírez Abadía em Guaíba, na região metropolitana de Porto Alegre. O imóvel de 36 hectares está confiscado pela Receita Federal desde o ano passado e já foi ofertado em leilão no dia 9 de janeiro, mas não recebeu ofertas de compradores.   Os agricultores Sem Terra querem que a área seja desapropriada para fins de reforma agrária e utilizada no cumprimento da meta de assentamento de 1.000 famílias até abril, assumida pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA). A meta foi estabelecida ao final da marcha dos trabalhadores Sem Terra em direção à Fazenda Guerra em novembro. Desde o acordo até esta segunda, nenhuma família foi assentada.   Diz uma nota do MST distribuída na manhã desta segunda, confirmando a invasão da fazenda Finca, que a ação também denúncia que o agronegócio tem sido uma das principais formas de lavagem de dinheiro do crime organizado, como já havia denunciado o Juiz Odilon de Oliveira, da vara especializada em lavagem de dinheiro. A Fazenda Finca está estimada em R$ 1,7 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.