MST nega participação na interdição de Carajás-PA

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) informou hoje não ter participado da interdição da Estrada de Ferro Carajás, em Parauapebas, no Pará, ontem. "A ação foi feita pelo Movimento dos Trabalhadores e Garimpeiros na Mineração (MTM), que tem pautas próprias", informou a assessoria de imprensa do MST.O MST esclarece "apoiar politicamente o movimento reivindicatório dos garimpeiros", que reivindicam a reabertura do garimpo de Serra Pelada. A Companhia Vale do Rio Doce, dona da estrada de ferro, atribui a interdição ao MST e considera "inadmissível" que uma empresa privada seja usada como instrumento de pressão contra os governos federal e estadual.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.