MST ocupa 2 propriedades e destrói eucaliptos no RS

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) ocupou hoje duas propriedades na região sul do Rio Grande do Sul como parte da Jornada Contra as Transnacionais, que se desenvolveu em vários Estados. Em Aceguá, aproximadamente 100 agricultores invadiram a fazenda Invernada, que pertence ao grupo Votorantim, e destruíram 25 hectares de uma plantação de eucaliptos. Todos, entre eles quatro menores, foram detidos pela Brigada Militar (polícia militar gaúcha) e levados a um ginásio da cidade. De lá, foram encaminhados para a delegacia de polícia de Bagé, onde prestaram depoimento. Outro grupo, de 120 integrantes, invadiu uma área de 2 mil hectares pertencente à multinacional Stora Enso, em Santana do Livramento, e também destruiu milhares de mudas de eucaliptos. A participação nas manifestações de 120 crianças do grupo que está em Ibirubá, na região do Alto Jacuí, também no Rio Grande do Sul, foi proibida pela juíza de Cruz Alta, Jocelaine Teixeira. A líder do movimento, Irma Ostroski, disse que não aceita que os filhos fiquem separados dos pais. "Ficaremos aqui até quinta-feira e depois, numa marcha a pé, vamos até Selbach. O que a juíza de Cruz Alta propôs, que é deixar nossos filhos em abrigos para menores, não vamos permitir de maneira nenhuma. Ou vão todos os 500 integrantes ou não vai ninguém".

CARLOS ALBERTO FRUET, Agencia Estado

16 de outubro de 2007 | 19h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.