MST paralisa invasão e aguarda resposta do governo

Dirigentes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) decidiram aguardar resposta sobre um pedido de audiência feito à Presidência da República. Com isso, é adiada a decisão do grupo sobre uma possível invasão de todo o prédio do Ministério da Fazenda, como era cogitado depois que os protestantes tomaram o saguão do local. Segundo a assessoria de imprensa do MST, a principal reivindicação dos manifestantes é a liberação de dinheiro para a reforma agrária. Para discutir o assunto, o movimento pleiteia a realização de uma audiência ampla, com participação de autoridades da Presidência da República e dos ministérios da Fazenda, Planejamento, Desenvolvimento Agrário e Casa Civil, além do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

CÉLIA FROUFE, Agencia Estado

11 Agosto 2009 | 16h31

Os dirigentes aguardam a resposta para a tarde de hoje. Se a reunião não for agendada, eles permanecerão na área do Ministério da Fazenda até o dia 21. "Se houver entendimento, encerra-se o movimento", afirmou uma assessora do MST. O secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Nelson Machado, se pôs à disposição dos organizadores do movimento para conversar sobre um acordo, mas a oferta foi rejeitada. Segundo avalia o MST, é necessária a participação de vários ministérios para se encontrar uma solução.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.