MST: próximo passo será a convocação de greve geral

O Coordenador do MST em Pernambuco, Jaime Amorim, avalia que a mobilização do Dia Nacional de Luta é uma preparação para uma greve geral no País. "A pauta dos trabalhadores e da sociedade para que o Brasil avance e dê um salto de qualidade está nas ruas", afirmou. "Dependendo dos efeitos dessa mobilização, o próximo passo poderá ser parar o País".

ANGELA LACERDA, Agência Estado

11 de julho de 2013 | 11h48

Amorim deu entrevista no complexo portuário e industrial de Suape, que teve seus três acessos bloqueados desde a madrugada por três centrais sindicais. "O objetivo foi cumprido, paramos Suape", afirmou ele, ao explicar a presença do movimento no local como forma de apoiar a mobilização das centrais sindicais.

O MST e a Via Campesina também bloquearam vários pontos de BRs que cortam o Estado para cobrar a retomada da reforma agrária. Amorim estimou a realização de pelo menos 11 bloqueios em municípios do sertão, agreste e zona da mata do Estado.

Ele informou que o MST vai se reunir na segunda-feira, 15, com a direção do complexo industrial e portuário de Suape para tratar da indenização de trabalhadores que ocupavam as terras que abrigam o empreendimento. "Muitos ainda não receberam a indenização", destacou.

Mais conteúdo sobre:
protestosPE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.