Mudança do clima levará milhões a migrar, advertem ONGs

Os efeitos da mudança climática naÁfrica, já evidentes em fenômenos extremos como secas e inundações,farão com que milhões de pessoas se desloquem para a Europa,disseram o Greenpeace e a African Youth.Estas duas organizações apresentaram em Nairóbi, onde acontece a12ª Sessão da Conferência das partes da Convenção sobreMudanças Climáticas (COP 12), o documentário Um só mundo; nãohaverá segunda oportunidade, que tem a colaboração de jovens detodo o planeta.O documentário tenta evidenciar os efeitos que a mudançaclimática tem no dia a dia da África, e conclui pedindo da comunidadeinternacional uma atuação sem demora para salvar o clima e evitar osdesastres causados pelo aquecimento do planeta. Entre as evidências da mudança climática, as duas organizaçõescitaram as secas que atingem muitos países africanos, as inundaçõesque atualmente castigam o Quênia e o derretimento das geleiras domonte Kilimanjaro, que poderiam desaparecer em 2015. Outra organização ecológica, o Fundo Mundial para a Natureza(WWF, sigla em inglês), levou à Conferência várias pessoas quejá são consideradas "vítimas" da mudança climática na África.A entidade facilitou o transporte de agricultores, granjeirose pescadores do Quênia e da Tanzânia ao evento, no qual puderam falardas conseqüências provenientes das modificações do clima e do regimede chuvas. Estas "testemunhas da mudança climática", como foram apresentadas, explicaram de que forma ciclos de chuva variaramdurante as últimas décadas, e como as mudanças impedem previsões confiáveis para a agricultura, o que atingea economia de milhares de famílias. Um deles, um pescadortanzaniano, descreveu o avanço do mar pelo litoral de seu povoado, quechegou a cerca de 200 metros nos últimos 50 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.