Mulher mais velha do mundo morre aos 114 anos

BELO HORIZONTE

Marcelo Portela, O Estado de S.Paulo

22 Junho 2011 | 00h00

Ontem, pouco mais de um mês após entrar para o Guinness World Records, o livro dos recordes, como a mulher mais velha do mundo, Maria Gomes Valentim, de 114 anos, morreu na Casa de Caridade de Carangola, na Zona da Mata mineira.

Vó Quita, como a mulher mais velha do mundo era conhecida, nasceu em 1896 e faria 115 anos no próximo dia 9 de julho. Ela estava internada no Centro de Terapia Intensiva (CTI) desde domingo para tratar de uma pneumonia. No dia seguinte, seu quadro se agravou e evoluiu para uma infecção generalizada.

Vó Quita já estava respirando com a ajuda de aparelhos quando foi internada, mas, na madrugada de ontem, ela não resistiu. Seu enterro estava previsto para o fim da tarde de ontem, em Carangola.

O reconhecimento de que Vó Quita era a mulher mais velha do mundo foi divulgado no dia 18 de maio. Segundo o Guinness, ela havia superado em 48 dias a antiga detentora do título, a norte-americana Besse Cooper.

Dieta. Vó Quita atribuía sua longevidade a uma vida saudável e à alimentação adequada, apesar de assumir que gostava de uma boa feijoada.

Após conquistar o recorde no Guinness, a anciã revelou que todos os dias tomava café da manhã com pão, café, frutas e leite, além de comer verduras e legumes diariamente. Ela também dizia que tomava, esporadicamente, uma taça de vinho.

Segundo a família de Vó Quita, o pai dela também havia ultrapassado a barreira dos 100 anos.

Vó Quita se casou com João Valentim em 1913 e tiveram um filho, que morreu aos 75 anos. Era viúva desde 1946. Ela deixa quatro netos, sete bisnetos e cinco trinetos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.