Mulher mantida refém por 30h em Aracaju é libertada

O homem que mantinha sua ex-esposa em cárcere privado há mais de um dia em Aracaju se entregou por volta das 14h45 de hoje, após cerca de 30 horas. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, a mulher foi liberada após um novo bloco de negociações entre o sequestrador e policiais civis e militares. A psicóloga Alessandra Andrade, da Defensoria Pública, também participou das negociações.

MARCELA GONSALVES, Agência Estado

19 de abril de 2011 | 15h37

A vítima Cristielane Caetano Mota Santos, de 21 anos, e José Elígio Tavares foram atendidos pelo Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) e encaminhados para um hospital da região. A secretaria não divulgou o nome do hospital por motivo de segurança. Com José Elígio, foi apreendido um revólver calibre 38. O sequestrador será analisado por um psiquiatra e, dependendo de sua avaliação, responderá pelo crime.

Por volta das 9 horas de ontem, o rapaz, armado com um revólver, entrou na casa e, após discutir com a ex-mulher, disparou contra uma das pernas dela, atingindo a vítima de raspão. O alerta para a Polícia Militar foi dado pelos vizinhos. Ele permitiu a entrada de uma equipe do Samu para que fosse realizado um curativo na perna da vítima.

O casal, que tem um filho de 5 anos, viveu junto durante 7 anos. Segundo testemunhas, cansada de apanhar do marido, Cristielane, há 20 dias, resolveu se separar de José Elígio ao saber que ele havia pedido demissão do trabalho e comprado um revólver. Segundo a polícia, a maior preocupação de José Elígio nas primeiras horas de negociação era saber quanto tempo de pena pegaria pelo crime. A negociação foi dificultada, pois o acusado não fazia exigência alguma para se entregar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.