Mulheres são maioria entre os mortos por gripe

Dos 50 óbitos confirmados, 38 são de mulheres, das quais 16 estavam grávidas; hoje é o 'dia D' da vacinação, com 36 mil postos abertos no País

Lígia Formenti, O Estado de S.Paulo

10 de abril de 2010 | 00h00

BRASÍLIA

Foram confirmados 361 casos de gripe suína neste ano no País, com 50 mortes, mostra boletim do Ministério da Saúde com dados até 3 de abril. Segundo o relatório, a Região Norte tem a maioria dos casos - 56,2%. Dos pacientes graves internados, 20% são gestantes. Até o momento, 38 mortes ocorreram entre mulheres - 16 eram gestantes.

O secretário de Vigilância em Saúde da pasta, Gerson Penna, disse que os dados mostram "uma tendência de crescimento dos casos de síndrome gripal nessas últimas semanas".

Apesar dos números, ainda é baixa a adesão da população à campanha de vacinação. Até agora, foram imunizadas 13,5 milhões de pessoas, pouco mais de 22% do público-alvo para as três primeiras etapas. Um movimento abaixo do esperado.

A expectativa é de que hoje, "dia D" da vacinação, o número de pessoas vacinadas aumente de forma significativa. "A vacina é eficaz, segura. Eu mesmo vou levar meus quatro filhos para serem vacinados", disse o ministro da Saúde, José Gomes Temporão. "Quem fizer parte da população-alvo e ainda não foi vacinado, não deve perder a oportunidade", completou.

A maior adesão à campanha até agora foi registrada entre trabalhadores de saúde: 93,7% do grupo já foi vacinado. Os índices são bem menos expressivos, no entanto, em outros grupos.

De acordo com números divulgados ontem, 41,1% das gestantes foram vacinadas. Entre doentes crônicos, o índice de imunização é de 32,8%. "É claro que esses números preocupam. As pessoas devem procurar postos de vacinação para se proteger", disse Penna.

Hoje todos os 36 mil postos de vacinação deverão estar abertos. Os horários de funcionamento serão estabelecidos pelos governos locais. Devem ser imunizados doentes crônicos com menos de 60 anos, grávidas, crianças de 6 meses a 2 anos incompletos e adultos de 20 a 29 anos.

Epidemia nas Américas. Penna observa que 95% dos casos de gripe nas Américas são provocados por H1N1. Neste ano, no Hemisfério Norte, a segunda onda da doença foi mais branda que o imaginado. Apesar do quadro menos grave, a Organização Mundial da Saúde, em comunicado recente, considerou prematuro reduzir o nível de alerta para a doença. Em 2009 foram registrados no Brasil 46 mil casos graves da doença, com 2.051 mortes. "Com um quadro desses, não se vacinar contra a doença é uma temeridade", avaliou Penna.

PERGUNTAS & RESPOSTAS

A segurança do imunizante

1.

A vacina é segura?

Sim. Todas pessoas que fazem parte dos grupos prioritários definidos pelo governo federal devem se vacinar contra a gripe suína. A única restrição é para quem tem alergia a ovo.

2.

Que tipo de reação a vacina pode causar?

Algumas pessoas podem ter efeitos colaterais leves, como vermelhidão e dor no braço. Há relatos também de dor de cabeça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.