Mulheres tratoristas chegam ao campo

Segundo empresa agrícola de Mato Grosso, que está treinando 16 funcionárias, elas são mais cuidadosas ao volante

Cleide Silva, O Estado de S.Paulo

29 de agosto de 2007 | 01h00

Elas são mais cuidadosas ao volante dos automóveis e, certamente, devem ser também na direção de tratores. Para comprovar a tese, o grupo André Maggi, grande produtor de soja, algodão e milho do País, abriu 16 vagas para operadoras de máquinas agrícolas. Elas fazem parte de um projeto piloto e começam na função no próximo mês no preparo do solo para plantio de soja.O gerente da Fazenda Itamarati, Silvio Sarlo, em Campo Novo do Parecis (MT), explica que as mulheres ''''são mais zelosas, fazem tudo bem feito e são prudentes no volante''''. O gerente também ressalta a baixa oferta atual de mão-de-obra qualificada nessa área e a necessidade social de empregar mulheres que vivem nas redondezas das fazendas do grupo, normalmente esposas e filhas de funcionários com poucas oportunidades de empregos que escapem dos afazeres domésticos.PIONEIRAS''''É a primeira vez que contratamos mulheres nessa função e elas vão operar tratores grandes, de 240 a 270 cavalos'''', explica. O salário médio inicial, na faixa R$ 800 a R$ 1.250, é o mesmo pago aos homens. As 16 escolhidas passam por aulas teóricas, com duração de 35 horas e mais 90 horas de treinamento prático.Uma das contratadas é Neuza Pereira da Silva, de 41 anos, esposa de um funcionário da Itamarati que também é operador de máquina. ''''O marido dá a maior força'''', conta ela, que trabalhava apenas em serviços domésticos. O casal tem dois filhos e um deles também é funcionário da fazenda.As 16 selecionadas para dirigir tratores têm idades entre 25 e 41 anos. A Itamarati emprega cerca de 300 pessoas, das quais 60 mulheres em funções administrativas e na área de limpeza e jardinagem.A fazenda destina 42 mil hectares para o plantio de soja, 7 mil a 8 mil para o de algodão e 16 mil para o milho safrinha. O grupo André Maggi atua no agronegócio há 35 anos. É formado pelas empresas Amaggi Exportação e Importação; Divisão Agro; Hermasa Navegação da Amazônia e Maggi Energia. Atua nos Estados de Mato Grosso, Rondônia e Amazonas e tem, ao todo, 2.800 empregados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.