Mulheres viram álbum, mas sem revelar peso

Estimular a empolgação dos fãs do esporte em relação ao futebol feminino tem sido uma tarefa difícil desde a Copa do Mundo, em 1991.

Kristen Allen/ DER SPIEGEL,

18 Junho 2011 | 07h29

Mas, apenas oito dias para o pontapé inicial do torneio de 2011, na Alemanha, aumenta a popularidade deste esporte tradicionalmente praticado por homens.

A fabricante de álbuns e figurinhas adesivas Panini anunciou esta semana números surpreendentes para as vendas da primeira coleção com as mulheres como protagonistas. Desde o lançamento, há duas semanas, os atacadistas já esgotaram os primeiros 4,5 milhões de pacotinhos, levando a Panini a imprimir mais 1 milhão de cromos, disse à Spiegel Online a porta-voz da empresa, Christine Fröhler.

As surpreendentes vendas são um alívio após o difícil início do projeto. Reunir fotos e informações sobre as jogadoras foi tão complicado que ainda há certos cromos com falta de dados. “Tratou-se de um território inexplorado para todos os envolvidos na produção”, disse Christine. “Não foi fácil obter as informações e as fotos. Ainda há lacunas.”

O México enviou por engano fotos da equipe masculina, enquanto muitos países foram incapazes de fornecer todos os dados pedidos a respeito das atletas, como local e data de nascimento, altura e time no qual jogam, disse ela.

Apesar dos 41 anos de experiência na produção de álbuns de figurinhas, a própria Panini também cometeu um erro – usou a mesma foto nas figurinhas de duas jogadoras da Coreia do Norte que por acaso têm o mesmo sobrenome.

E, apesar de ser uma informação corriqueira nas figurinhas do futebol masculino, a empresa de Modena, Itália, optou por excluir da descrição das jogadoras o seu peso. “Acho que, sem o peso, o álbum ganha muito no quesito charme”, disse Christine. TRADUÇÃO DE AUGUSTO CALIL

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.