Mundo volta a ficar às escuras, em protesto

Mundo volta a ficar às escuras, em protesto

Movimento Hora do Planeta propõe desligamento de luzes hoje à noite, por uma hora, para conscientizar a população sobre o aquecimento global

Andrea Vialli, O Estadao de S.Paulo

27 de março de 2010 | 00h00

Às 20h30 de hoje, a Torre Eiffel, em Paris, vai apagar suas luzes. A rainha Elizabeth II também ficará às escuras durante uma hora: o Palácio de Buckingham, em Londres, morada da família real britânica, também vai apagar as luzes. No Brasil, o breu cobrirá 19 capitais e deixará na penumbra monumentos como o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, e a Ponte Estaiada e o Viaduto do Chá, em São Paulo.

A escuridão voluntária é o que propõe o movimento Hora do Planeta, criado em 2007 pela ONG WWF como forma de conscientizar a população e os governantes sobre o aquecimento global. Para participar, basta apagar as luzes na noite de hoje durante o período de uma hora, entre 20h30 e 21h30. Cada país fará a adesão em sua hora local.

É o segundo ano consecutivo em que o Brasil adere ao movimento, adotado por mais de 3 mil cidades em 121 países. No ano passado, a iniciativa mobilizou 1 bilhão de pessoas. Em 2010, o WWF espera atingir a mesma quantidade de adesões de 2009.

O ato de apagar as luzes, no caso do Brasil, é simbólico, já que a maior parte das emissões de gases de efeito estufa no País não vem da geração de energia e sim do desmatamento de biomas como a Amazônia.

"Como a maior parte da energia elétrica que consumimos vem de fontes renováveis, o objetivo da ação é alertar para o peso que o desmatamento tem nas emissões de gases de efeito estufa", afirma Mauro Armelin, coordenador do Programa de Desenvolvimento Sustentável do WWF-Brasil. "Se não fosse o desmatamento, cairíamos da posição de quarto maior emissor de CO2 para a 18.ª posição", revela.

Segundo Armelin, o objetivo do movimento neste ano foi sensibilizar especialmente as cidades com as maiores populações no País, como as capitais São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Também é alta a adesão de empresas, como restaurantes - que vão propor aos clientes jantares à luz de velas -, shopping centers, supermercados, bancos e indústrias.

Programação. A Rádio Eldorado foi escolhida este ano pelo WWF como a emissora oficial da Hora do Planeta, com uma programação especial voltada para a cobertura do evento em todo o País. A partir das 15h30 de hoje, a emissora fará uma contagem regressiva para o evento, com chamadas de personalidades conhecidas como a cantora Mariana Aydar e o chef Alex Atala.

"O público da Eldorado é sensível às causas ambientais. Queremos mobilizar ainda mais os ouvintes", diz a coordenadora de Meio Ambiente da rádio, Paulina Chamorro. A emissora também aderiu à ação - as luzes externas do prédio-sede do Grupo Estado, em São Paulo, também serão apagadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.