Muricy pede menos ''agressividade''

Treinador palmeirense quer o time mais tranquilo contra o Atlético-MG

Daniel Akstein Batista, ITU, O Estadao de S.Paulo

28 de novembro de 2009 | 00h00

O Palmeiras já foi bastante elogiado na temporada por ser um time veloz. Amanhã, contra o Atlético-MG, no Palestra Itália, Muricy Ramalho não quer os jogadores confundindo rapidez com ansiedade. O treinador pede que a equipe trabalhe bem a bola, com tranquilidade.

O time não tem conseguido se firmar em campo. Atletas tentam rapidamente decidir o jogo e acabam errando muitos passes. E, quando toma o gol, se perde de vez. A briga entre Obina e Maurício, em Porto Alegre, mostra o despreparo emocional de alguns. Nos dias em que passa em Itu, Muricy tenta corrigir os erros com treinos táticos, técnicos e muita conversa.

"Temos jogadores com o perfil de agressividade e temos de mudar isso no dia a dia", pediu o técnico. "Precisamos trabalhar um pouco mais a bola e ter paciência. O time está com muita vontade de definir, joga em velocidade, e isso atrapalha."

Em oito dos últimos nove jogos (uma vitória, 3 empates e 5 derrotas), o Palmeiras viu o adversário abrir o marcador. Contra Avaí, Sport e Corinthians, ainda empatou. Mas agora espera conseguir marcar o gol logo para evitar sufoco. "Temos tomado gols no começo e nos prejudicado", disse Edmílson. "Temos 90 minutos para jogar e não podemos entrar ansiosos."

Muricy completou ontem quatro meses de trabalho no Palmeiras. E considera satisfatória sua participação. "Fiquei 19 das 22 rodadas na liderança. Está de bom tamanho."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.