Mursi enfrentará novo julgamento, sob novas acusações--fonte

O presidente deposto do Egito, Mohamed Mursi, será julgado sob a acusação de insultar o judiciário, disse uma fonte judicial neste domingo, um sinal de que as autoridades egípcias não têm nenhuma intenção de facilitar a repressão à sua Irmandade Muçulmana.

Reuters

19 de janeiro de 2014 | 10h58

Este é o quarto caso em tribunal que Mursi enfrentará desde que foi deposto pelo exército em julho, após protestos em massa contra seu governo, que durou um ano.

Mursi e 25 outras pessoas foram acusados de insultar o judiciário, disse a fonte.

O Egito tem aumentado a pressão sobre a Irmandade, que o país rotulou de uma organização terrorista. Milhares de seus líderes foram presos, sob acusações de violência.

A Irmandade, que já foi o movimento político e religioso mais bem organizado do Egito e ganhou cinco eleições consecutivas, nega qualquer ligação com violência e acusa o exército de encenar um golpe militar.

O ex-presidente deve comparecer no tribunal em 28 de janeiro. Ele também enfrenta acusações em conexão com o assassinato de manifestantes e colaboração com o grupo islâmico Hamas e o Hezbollah, para realizar uma conspiração terrorista contra o Egito.

(Por Michael Georgy)

Mais conteúdo sobre:
EGITOMURSIJULGAMENTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.