Musharraf deixa comando das Forças Armadas

Presidente do Paquistão assume novo mandato nesta quinta-feira como líder civil

BBC Brasil, BBC

28 de novembro de 2007 | 05h00

O presidente do Paquistão, Pervez Musharraf, deixou nesta quarta-feira, 28, o comando das Forças Armadas do país. Em uma cerimônia militar realizada na cidade de Rawalpindi, que abriga os quartéis-generais do Exército paquistanês, o general Musharraf passou o comando ao general Ashfaq Pervez Kiyani, ex-chefe do serviço de inteligência paquistanês, que havia sido escolhido para o cargo em outubro. O presidente paquistanês vinha enfrentando forte pressão doméstica e internacional para renunciar ao comando das Forças Armadas.  Ele foi reeleito no Parlamento em 6 de outubro e teve o novo mandato confirmado por um tribunal composto por juízes governistas. Nesta quinta-feira, Musharraf deverá ser empossado em um novo mandato, desta vez como um presidente civil, encerrando oito anos de poder militar no Paquistão. Musharraf tomou o poder em 1999, em um golpe de Estado. O presidente chegou ao local da cerimônia vestindo seu traje militar completo. Em seu discurso de despedida, Musharraf disse que o Exército era a sua vida e que ele estava orgulhoso de ter sido comandante dessa "grande força". "Sinto-me orgulhoso de deixar o Exército em excelentes condições", disse Musharraf na cerimônia, que foi transmitida ao vivo pela TV estatal paquistanesa, a PTV. "Eu posso ter tirado o meu uniforme, mas meu coração e minha mente sempre estarão com vocês. Eu estarei sempre pensando em vocês", disse Musharraf. A maior pressão para que Musharraf deixasse o comando das Forças Armadas vinha dos Estados Unidos, importante aliado do Paquistão.  Nos últimos meses, era crescente em Washington a preocupação com a perda de popularidade de Musharraf e com a inabilidade das Forças Armadas paquistanesas de conter militantes pró-Taleban. Como líder civil, Musharraf ainda terá grande poder, inclusive o de destituir um governo civil. Segundo correspondentes da BBC no Paquistão, ainda não está claro quando Musharraf irá pôr fim ao estado de emergência decretado por ele no dia 3 de novembro. As eleições parlamentares no Paquistão estão marcadas para 8 de janeiro.   Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
paquistãomusharraf

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.