Musical sobre Maria será encenado no Vaticano

Intenção da peça a intenção da peça 'é aproximar Maria das pessoas'.

Assimina Vlahou, BBC

12 de junho de 2008 | 06h30

A vida de Maria de Nazaré, mãe de Jesus Cristo e uma das figuras mais importantes do Cristianismo, será tema de um musical a ser apresentado na próxima semana no Vaticano.Intitulado Maria de Nazaré, uma historia que continua, o espetáculo narra a vida de Maria - segundo a Bíblia -, da infância até sua morte e ascensão ao céu. Dividido em dois atos e com duas horas de duração, o musical também conta, com músicas e danças, a chamada "anunciação do anjo", o casamento de Maria com José e o nascimento de Jesus. A peça será apresentada na sala Paulo 6° do Vaticano, onde normalmente são feitas as audiências públicas do papa.IncentivoO papel de Maria é interpretado pela atriz e soprano italiana Alma Manera, que disse ter uma forte devoção mariana."É um papel importante para mim", disse a atriz à BBC Brasil. "Essa será a primeira vez que a sala Paulo 6° se torna palco para um musical, com 40 pessoas entre atores, cantores e bailarinos, além de 60 músicos da orquestra", disse a soprano. O espetáculo é patrocinado pela Secretaria de Estado do Vaticano, mas não tem financiamento da Santa Sé. Apesar de não se tratar do primeiro musical de caráter religioso, não é comum que o Vaticano dê seu apoio com tanta convicção a espetáculos do gênero. No caso do musical sobre Maria, a apresentação oficial foi feita pela sala de imprensa da Santa Sé, na última terça-feira. "É Maria quem apresenta Cristo ao mundo de hoje, por isso gostei do título 'uma história que continua' e demos nosso patrocínio com prazer", disse Monsenhor Cláudio Maria Celli, presidente do Pontifício Conselho para a Comunicação, durante a apresentação do espetáculo aos jornalistas. CriatividadeApesar do incentivo, a produtora teatral Maria Pia Liotta, autora do texto e diretora do espetáculo, disse à BBC Brasil que o musical não foi encomenda do Vaticano."Eu queria falar da importância que a mulher tem na sociedade e na família e então chegou a inspiração de Maria, que é a mulher mais importante e célebre da história da humanidade. Depois, tudo aconteceu", disse Liotta à BBC Brasil . "Contamos a história conhecida, através dos olhos da mãe de Jesus. Mostramos o lado terreno e o lado espiritual de Maria, começando com ela menina, até sua morte", explicou.A autora esclareceu ainda que o texto se baseia nos livros sagrados da Igreja, mas que teve espaço para a criatividade, como no caso de uma fictícia competição pelo amor de Maria entre Barrabás, o homem que foi salvo no lugar de Jesus Cristo, e o carpinteiro José.A revisão do texto foi feita por Monsenhor Gianfranco Ravasi, presidente do Pontifício Conselho da Cultura e pelo professor da Universidade Gregoriana Padre Stefano De Fiores, considerado um dos maiores especialistas em Mariologia, estudo da devoção em Nossa Senhora. "Eles verificaram a fidelidade às Sagradas Escrituras, mas respeitaram a narrativa do musical e a forma do espetáculo, que usa palavras, melodia e dança.", disse Maria Pia Liotta.'Marias'Depois de assistir aos ensaios, Padre Fioris afirmou que a intenção da peça é aproximar Maria das pessoas, ao colocá-la na vida cotidiana, ressaltando seu lado hebraico. "Os dois atos começam com ela fazendo o pão, que tem de ser feito logo, porque senão chega o Sabbath, sábado", afirmou o padre à BBC Brasil. Segundo o prelado, o amor pelo namorado (José), a doação de sua vida a Jesus, assim como o sofrimento, as dificuldades e a violência, representados na peça, mostram Maria como uma mulher verdadeira e mais próxima às mulheres de todo o mundo. "Nela se canalizam as dores, sofrimentos e esperanças de muitas mulheres, especialmente do mundo católico, mas também do mundo muçulmano", disse o monsenhor.De acordo com ele, ao mesmo tempo em que representa o lado hebreu de Maria, o espetáculo mostra os conteúdos da fé católica. Depois da apresentação no Vaticano, o espetáculo vai ser levado para outras cidades italianas e também será apresentado em outros países europeus e no Oriente Médio e América Latina.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.