Músico mexicano é morto a tiro em noroeste dominado pelo tráfico

Um membro da Banda el Recodo, grupo tradicional mexicano também popular nos Estados Unidos, foi encontrado morto por um tiro de espingarda no pescoço nesta quarta-feira na cidade turística de Mazatlán, no noroeste do país, informaram o grupo e as autoridades locais.

REUTERS

22 de outubro de 2014 | 20h16

Aldo Sarabia, que tocava tuba na banda, foi declarado desaparecido na semana passada.

Trata-se do mais recente de uma série de assassinatos e supostos massacres no México nas últimas semanas e meses, que eclipsaram a iniciativa do presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, para direcionar a atenção pública para as reformas econômicas e não para os episódios de violência.

O caso está sendo investigado como homicídio, informou uma fonte do escritório da promotoria do Estado de Sinaloa à Reuters, sem dar maiores informações. O corpo de Sarabia também exibia sinais de espancamento, relatou a mídia local.

“Aldo, embora estejamos arrasados por sua perda, a vida nos obriga a ser fortes e encontrar consolo nos momentos lindos que vivemos com você”, declarou a banda em um comunicado publicado em seu Twitter.

Sinaloa é o berço da cultura do tráfico de drogas mexicano e terra natal de Joaquin "El Chapo" Guzmán, o chefe de cartel mais procurado do mundo até ser capturado em fevereiro, também em Mazatlán.

Os músicos, muitos dos quais ganham dinheiro escrevendo “narcocorridos”, canções que exaltam o poder e as proezas de chefões locais do tráfico, são mortos com frequência no norte do México.

(Por Anahi Rama e Lizbeth Diaz)

Mais conteúdo sobre:
MEXICOMUSICOMORTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.