Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Mutirão do coração acontece amanhã na Estação Sé

Um mutirão para a conscientização sobre os riscos de doenças cardiovasculares será realizado nesta terça-feira, 18, na estação Sé do metrô, na região central de São Paulo. A ação marca o lançamento do movimento "Ame o Coração", uma parceria do Instituto do Coração (Incor) do Hospital das Clínicas da USP, do Hospital do Coração (HCor) e da Unilever. A iniciativa visa prevenir problemas cardíacos na população - a primeira causa de mortes no Brasil.

GABRIELA VIEIRA, Agência Estado

17 de junho de 2013 | 15h56

Entre as 6h e as 18h, a campanha espera avaliar cerca de 20 mil paulistanos. No mutirão, nutricionistas farão o cálculo do Índice de Massa Corpórea (IMC) e a medição da circunferência abdominal, além de uma avaliação e orientação nutricional voltada à saúde do coração. A consulta será gratuita e, segundo a Secretaria Estadual da Saúde, não é necessário um agendamento prévio.

No último ano, as doenças cardíacas foram responsáveis por 29,4% de todas as mortes registradas no País: 308 mil pessoas faleceram em decorrência de enfartes e acidentes vasculares cerebrais (AVC), segundo informações do movimento. Dados da Organização Mundial da Saúde revelam ainda que 38 milhões de brasileiros com mais de 20 anos estão acima do peso e, desse total, 10 milhões são considerados obesos.

"Com pequenas atitudes, como não fumar, fazer uma atividade física regular e comer mais frutas e verduras, podemos reduzir em até 80% o risco de doenças cardiovasculares", afirma Elisabete Almeida, coordenadora do "Ame o Coração". A ação desta terça está restrita à cidade de São Paulo, mas a campanha criou um site onde as pessoas podem encontrar mais informações sobre doenças cardíacas: www.ameocoracao.com.br.

Tudo o que sabemos sobre:
saúdecoraçãomutirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.