Na BA, cerca de 200 clínicas paralisam atividade

Cerca de 200 instituições de saúde particulares de Salvador, integrantes da Associação de Hospitais e Serviços de Saúde do Estado da Bahia (Ahseb), que prestam atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS), vão interromper de hoje até o dia 31 os serviços prestados pelo SUS.

TIAGO DÉCIMO, Agência Estado

24 de outubro de 2011 | 16h58

De acordo com a direção da associação, a decisão foi tomada porque o teto estipulado pelo SUS para atendimento, que foi cortado em 20% em maio, já foi atingido este mês. As clínicas conveniadas têm ameaçado paralisar as atividades desde que o corte foi anunciado, mas de acordo com o presidente da Ahseb, Marcelo Britto, o atendimento prosseguia "por respeito à população". "A população é nossa maior preocupação, mas não temos mais opção", afirma.

De acordo com cálculos da associação, as clínicas envolvidas realizam, diariamente, cerca de 40 mil atendimentos pelo SUS. Segundo o secretário de Saúde de Salvador, Gilberto José, pacientes atendidos pelo SUS serão direcionados a outras instituições durante a paralisação.

Mais conteúdo sobre:
saúdeprotestomédicos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.