Na BA, docentes desocupam Assembleia Legislativa

Professores da rede estadual da Bahia que ocupavam áreas da Assembleia Legislativa desde 18 de abril começaram a deixar o local no fim da tarde de ontem, com algumas horas de atraso. A Justiça havia determinado a reintegração de posse até as 14 horas.

TIAGO DÉCIMO / SALVADOR, O Estado de S.Paulo

21 de julho de 2012 | 03h04

A decisão de sair da AL foi tomada durante a tarde, após negociações com deputados e tensão entre grevistas. De manhã, os docentes haviam decidido ficar no local até que fossem obrigados a sair pela força policial. Mas o comando da Polícia Militar divulgou que não haveria uso da corporação na retirada dos manifestantes, sob argumento de que a operação seria usada politicamente pelos grevistas. Mesmo assim, durante a tarde correram rumores de invasão da PM e de possíveis mandados de prisão contra as lideranças do movimento, que motivou a decisão de saída pacífica.

Os professores, porém, decidiram manter a greve, que chega a 102 dias. Uma manifestação no Centro Administrativo da Bahia, em Salvador, onde ficam a AL, a governadoria e as sedes das secretarias de governo, marcou a manutenção da paralisação.

A próxima assembleia foi marcada para terça-feira. Entre as reivindicações dos docentes está um reajuste salarial de 14,26% ainda neste ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.