Na Bahia, Aécio volta a prometer favorecimento tributário para Nordeste

Na Bahia, Aécio volta a prometer favorecimento tributário para Nordeste

Candidato tucano também prometeu incentivar o turismo na região

REUTERS

18 Setembro 2014 | 17h18

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, voltou a prometer um "favorecimento tributário" para os investimentos na região Nordeste, caso vença as eleições de outubro deste ano, em campanha nesta quinta-feira em Itabuna (BA).

O tucano, que lançou um programa específico para a região, também prometeu incentivar o turismo no Nordeste, onde o PT, da candidata à reeleição Dilma Rousseff, tem tido grandes votações nas últimas disputas presidenciais e onde há forte presença dos programas sociais do governo federal.

"A nossa candidatura foi a única que assumiu um compromisso claro com a região Nordeste brasileira. Em primeiro lugar, com a descentralização dos investimentos, portanto, com o favorecimento tributário que permita que empresas e empregos voltem ao Nordeste brasileiro", disse Aécio.

O programa do tucano para o Nordeste inclui ainda metas para a educação, saúde e segurança pública. Também se propõe que, ao término de quatro anos, todas as famílias da região tenham renda per capita familiar de 1,25 dólar por dia.

Aécio voltou a afirmar que sua candidatura é a que tem mais condições de derrotar o PT e fazer a mudança "de verdade", numa referência indireta à candidata do PSB, Marina Silva, a quem o tucano vem tentando associar com o PT, já que Marina foi integrante do partido por mais de 20 anos.

"Quem pode vencer de verdade o PT e permitir o Brasil voltar a crescer e a vida das pessoas melhorar é a nossa candidatura", disse.

Aécio tem aparecido em terceiro lugar nas principais pesquisas de intenção de voto, atrás de Dilma e Marina.

(Reportagem de Eduardo Simões; Edição de Cesar Bianconi)

Mais conteúdo sobre:
ELEICOES2014AECIONORDESTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.