Na Bélgica, dois bispos questionam abertamente o celibato no clero católico

RELIGIÃO

AP, O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2010 | 00h00

Em declarações separadas, o bispo de Hasselt, Patrick Hoogmartens, e o de Bruges, Jozef De Kesel, afirmaram que homens casados não deveriam ser automaticamente excluídos do sacerdócio. Os comentários, que desafiam a posição do papa Bento XVI sobre o tema, vêm à tona em um momento em que a Bélgica é sacudida por novos escândalos de abuso sexual de menores por membros da Igreja. A repercussão desses casos estimulou no país a discussão sobre o celibato, indicado como uma possível causa desses abusos. O Vaticano rebate esse ponto de vista e afirma que o celibato é uma tradição irreversível e um sinal de fé.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.