Na pequena cozinha de Julie, a grandiosa obra de Julia Child

Blogueira que preparou 500 receitas da legendária chef fala ao 'Paladar'

Cíntia Cristina da Silva, O Estado de S.Paulo

31 Janeiro 2008 | 03h45

A texana Julie Powell ainda não tinha nascido quando a californiana Julia Child (1912-2004) publicou aquele que se tornaria um clássico da gastronomia americana: Mastering the Art of French Cook. Editado em 1961, o livro foi responsável por apresentar à América do cheeseburguer e batata frita os oeufs à la bourguignonne dos franceses. Veja na internet a íntegra das entrevistas de Julie Powell e Pinheiro Machado Julia Child estudou no Le Cordon Bleu, em Paris, ''''sua pátria espiritual''''. Sem afetação, ela se tornou uma espécie de embaixatriz da culinária francesa nos Estados Unidos, teve um programa de TV, The French Chef (veja em www.youtube.com/watch?v=2ohiUbQyDhk) e influenciou milhares de pessoas. Julie Powell foi uma delas. Enfastiada com o que andava comendo, ela decidiu recriar as 524 receitas do catatau Mastering the Art of French Cooking em um único ano. A empreitada virou blog que virou livro e agora vai virar filme, com Meryl Streep no papel de Julia Child e Amy Adams no papel de Julie Powell. Julie & Julia concentra-se na preparação dos pratos, mas não é um livro de receitas. A blogueira-cozinheira-escritora trabalha agora em The Dying Art, livro que retrata o ofício de mestres açougueiros. Julie Powell falou a Paladar por e-mail sobre Julia Child e o Mastering the Art... Para você, ''''Mastering the Art...'''' é um divisor de águas? Com certeza. Fui inspirada desde o princípio pelas receitas de Julia Child. Já o projeto todo, minha imersão na prosa de Julia, foi uma epifania de um ano. Nesse período, conheci muito a respeito dela. Você escreveu que ler ''''Mastering...'''' foi como ''''ler versos bíblicos pornográficos'''', por que? Meu primeiro contato com o livro teve uma evocação quase obscena da sensualidade do ato de comer e cozinhar. Senti uma quase reverência a esses prazeres na escrita de Julia Child. O que você sabia sobre culinária francesa antes de ''''Mastering...''''? Antes do livro, não tinha um conhecimento real da cuisine; da filosofia, nuances e como as receitas formam um corpo de sabores harmoniosos. O que é preciso para ser um bom cozinheiro? Interesse, paciência e habilidade. Ah, acredito que vegetarianos não costumam ser bons cozinheiros. Não digo que a comida vegetariana não possa ser maravilhosa, mas acho que a recusa em admitir que bacon é algo maravilhoso é tão incompreensível quanto um pintor decidir que odeia amarelo e nunca vai usar a cor. A comida pode revolucionar a vida das pessoas? Ah, com certeza. Sou a prova disso... Mas acho que a paixão também é fator decisivo. Comida é minha paixão. O que Julia Child acharia de seu livro? Gostaria que ela pensasse no livro como um tributo, a seus grandes feitos na cozinha e a sua grande habilidade de viver a vida em sua plenitude. Tenho certeza de que ela pensaria que sou terrivelmente imatura, presunçosa até, mas gostaria que ela percebesse o amor que tenho por ela e a inspiração que foi para mim.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.