Nadador sem braços nem pernas quer fazer travessias continentais

Após completar a travessia do Canal da Mancha, francês diz que busca desafios mais difíceis.

BBC Brasil, BBC

05 de outubro de 2011 | 07h09

Um nadador sem braços nem pernas que cruzou o Canal da Mancha há um ano pretende fazer agora travessias intercontinentais.

O francês Philippe Croizon, 43, disse que pretende agora nadar as águas geladas do Estreito de Bering, entre a Rússia e o Alasca, ou atravessar o Golfo de Aqaba, entre a Ásia e a África.

Antes de entrar na água, o atleta veste uma capa de proteção para a perna, com uma espécie de pé de pato que lhe dá impulso. Ele conta com a ajuda do seu fiel nadador-assistente, Arnaud Chassery.

Para completar os 35 km do Canal da Mancha, no ano passado, Philippe teve de abandonar o sedentarismo e adotar em uma rotina puxada: 36 horas de exercícios por semana, percorrendo 4 mil quilômetros em dois anos.

Após completar a proeza, o nadador diz que agora está levantando recursos para encarar o próximo desafio.

Além do Estreito de Bering e do Golfo de Aqaba, outras possibilidades seriam tentar cruzar o mar entre Gibraltar e o Marrocos, e a Indonésia e Papua Nova Guiné.

Philippe perdeu as pernas e os braços depois de levar um choque elétrico violento ajustando a antena parabólica de casa. Mas ele acredita que seu exemplo de perseverança pode incentivar outras pessoas com deficiência física a não se deixar abater. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.