'Não concordo em demonizar Sarney', diz Dilma

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, saiu em defesa do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), nesta sexta-feira ao afirmar que não se deve personalizar a crise por que passa a instituição e que o DEM também deve ser responsabilizado pela sequência de denúncias que atingiram a Casa.

REUTERS

03 Julho 2009 | 14h00

"Não concordo em demonizar o presidente Sarney e responsabilizá-lo por toda esta crise. Não concordo com o tratamento desequilibrado que dão ao presidente Sarney", disse Dilma no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), sede provisória do governo.

Sarney foi recebido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta sexta-feira e deixou o CCBB sem dar entrevistas.

Na quinta-feira, Lula procurou convencer a bancada do PT de que a aliança com o PMDB de Sarney é essencial para manter a governabilidade. O PMDB também é cobiçado para apoiar a candidatura de Dilma à sucessão presidencial.

PSDB, DEM e PDT pediram o afastamento temporário de Sarney do comando do Senado.

(Reportagem de Fernando Exman)

Mais conteúdo sobre:
POLITICA DILMA SARNEY*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.