Não é comida, é coração

No Japão, dar um alimento ou bebida é sinal de carinho e gratidão. Funciona mais ou menos como as demonstrações físicas de afeto no Brasil. "Quem presenteia não está oferecendo um produto e sim o coração", ensina a jornalista AsakoKishi, de 86 anos, que publicou dois guias com as melhores lojas para presentes de comer em Tóquio. "O presente precisa ser acompanhado daquele sentimento de "você tem de experimentar porque é bom demais", diz Asako.

O Estado de S.Paulo

29 Julho 2010 | 02h27

Parece simples? Pois tente, por exemplo, procurar um presente no bairro de Ginza, no centro de Tóquio, onde o número de lojas do tipo concorre com o das multidões na rua. Haja paciência e sola de sapato!

Uma das lojas do gênero mais concorridas é a famosa confeitaria Toraya. A entrada da filial de Ginza parece a de uma joalheria, com uma senhora sorridente colocada à porta só para dizer "bem-vindo" quando você entra e "muito obrigada" quando sai. Fundada em Kioto há mais de 400 anos, a rede confecciona os melhores doces para acompanhar o chá, o wagashi. Eles têm a doçura ideal para aplacar o amargor do chá sem deixar gosto de açúcar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.