Não é possível comparar célula a pessoa, diz advogado

O advogado da Conectas Direitos Humanos, Oscar Vilhena Vieira, afirmou hoje, durante julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF), que é contra a ação de inconstitucionalidade da Lei de Biossegurança. De acordo com ele, não é possível comparar o embrião a um ser humano. "Não podemos equiparar uma célula de três, quatro dias com uma pessoa que amamos, admiramos e, eventualmente, odiamos. Nós não estamos equiparando o embrião a uma pessoa, e sim como princípio da vida", disse. Defendendo os argumentos dos cientistas, ele também sustentou que a solução do enigma de quando começa a vida não irá ajudar a resolver o problema. "Ninguém é contra a vida, mas estamos discutindo sobre qual a melhor forma de preservar o direito da vida. Cada religião tem a sua visão de quando começa a vida, e não cabe a nós julgar", afirmou.

AMANDA VALERI, Agencia Estado

05 de março de 2008 | 16h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.