Não há mais tempo para duvidar do aquecimento global, diz Ban

Reunião na ONU pretende criar impulso para as negociações que ocorrerão no final do ano

Associated Press,

24 de setembro de 2007 | 16h21

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, disse a uma cúpula inédita sobre mudança climática que "o tempo para dúvidas já passou" e que um grande avanço é necessário nas negociações globais para reduzir, de forma aguda, a emissão de gases causadores do aquecimento global.   "O processo climático da ONU é o fórum adequado para negociar uma ação global", disse Ban à reunião de presidentes e primeiros-ministros, numa advertência velada contra o que alguns analistas vêem como uma tentativa dos EUA de abrir um canal de negociação paralelo.   O líder da ONU também fez referência à principal objeção dos EUA à negociação de limites para a emissão de gases causadores do efeito estufa, de que aceitar limitações causaria graves danos à economia. "Não agir agora será a ação mais cara de todas no longo prazo", disse ele.   O governador da Califórnia,  Arnold Schwarzenegger, outro orador da abertura do evento, disse aos delegados internacionais que os Estados dos EUA estão agindo, a despeito da resistência do governo federal a limites compulsórios.   A reunião de um dia na ONU reúne mais de 80 líderes nacionais, entre cerca de 150 participantes. Também deverão falar o ex-vice-presidente dos EUA Al Gore, a chanceler alemã Angela Merkel e outras figuras internacionais.    Ban organizou o encontro para construir impulso político rumo ao lançamento de negociações, no final do ano, para cortes profundos nas emissões de gases causadores do efeito estufa.   Bush, que há anos se opõe à adoção de limites compulsórios, não tomará parte nos eventos do dia, mas deverá comparecer a um jantar com os principais participantes. O líder americano será anfitrião de uma reunião sobre mudança climática também prevista para esta semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.